BUG

crash_restos

Um dia nós viveremos um bug tecnológico.

Se ele virá pela combinação dos números do ano, se virá pela superlotação dos servidores de armazenamento ou se simplesmente haverá um apagão, não vem ao caso. Não vale a pena arriscar em adivinhar uma justificativa como já fizeram alguns.

Fato é que virá um bug – mesmo! – e nesse dia todas as informações, todos os dados, imagens serão apagados e o mundo todo entrará em crise. E aí ninguém mais vai existir, todos os registros de nascimentos, casamentos e óbitos desaparecerão, e com eles todas as datas deixarão de ter importância. Todos os números serão zerados, perderemos os direitos aos aniversários, às infâncias. Por outro lado, não haverá mais adultos, tampouco a velhice será tão pesada. Aquele que reclamar da idade será taxado de louco varrido.

Nada será mais importante do que o momento do agora, não precisaremos nos preocupar com atrasos, ou antecipações, os calendários se tornarão os objetos mais inúteis que já se viu, seguido dos relógios.  O trânsito não será mais estressante porque nenhum compromisso será atrapalhado, porque as agendas estarão zeradas.

Os bancos entrarão em colapso. As dívidas serão perdoadas, os crediários e cobranças serão anulados e os clientes preferidos perderão seus postos, serão preferenciais de lugar nenhum. Cartões de crédito servirão apenas de enfeite de carteira, os dados de cadastro serão esquecidos, os boletos cancelados. Os ricos empresários se tornarão pobres novamente, os já pobres assim continuarão, porque os bancos não saberão dizer o que é que quem e aí todo o dinheiro perderá seu valor.

Os hospitais deixarão de ter fila de atendimento e todos os casos serão importantes, as consultas durarão o tempo necessário e os pacientes serão submetidos ao mesmo caráter de emergência. As escolas voltarão a ensinar, deixando de lado os conceitos, notas, médias e provas semestrais. Vestibulares serão inúteis, nada de cotas nem particularidades, e os alunos voltarão a aprender, a educação voltará, finalmente, ao seu lugar.

Nascerá então um novo mundo, sem desigualdade, preconceito, em que todos serão tratados igualmente, como se voltássemos ao tempo das cavernas, em que todos desfrutarão do direito aos mesmos direitos, com as mesmas chances e usufruindo dos mesmos benefícios.

Por isso eu acredito. Mas não só acredito, como torço para que esse bug venha logo. Quem sabe assim as coisas mudem.

Quem sabe…

Anúncios