Crônica “…cai, não fica nada!”, em Vida a Sete Chaves

É lindo ver as ruas cheias, pés em movimento, ânimos inflamados. Mas é triste ver que as bocas estão murchas, cabeças ainda estão ocas e os corações são vazios. Porque lutar não é bater no peito, dizendo-se acordado; não é se juntar pela emoção, não é responder o coro. Para esses, os heróis morreram de overdose, vencidos, lembrados apenas por uma verdade que eles mesmos deixaram para trás. Hipócritas.

Quero mesmo é ver gente que sabe o que diz, que arregaça as mangas, que defende em pé, pela razão, que leva o coro, cujos ídolos sabem que esperar não é saber e que fazem, sem esperar que as coisas aconteçam por acaso.

 

**Crônica originalmente publicada em Vida a Sete Chaves **

Veja outras crônicas publicadas no site clicando aqui.

Anúncios