Crônica “Quem se estrumbica?”, em Vida a Sete Chaves

Se a comunicação é a maior qualidade do homem sobre os outros animais, é também o maior dos males.

A teoria da linguagem já diz que a comunicação só é eficaz se a mensagem for decodificada pelo receptor. Mas nem sempre isso acontece e é aí que o problema nasce: cada qual, a partir do seu próprio ponto de vista, recebe e interpreta a mensagem de uma maneira e processa a informação, devolvendo uma nova mensagem que, muitas vezes, não responde àquilo que foi inicialmente colocado.

Compreensível? Sim, mas perigoso.

Do mesmo jeito que ela propicia grandiosos feitos de integração humana, disseminando cultura e educação, entre outras coisas, também é responsável pelos maiores desentendimentos e pior: pode ser considerada um dos fatores cruciais que propiciou as duas grandes guerras desse século, além de todas as outras que se espalharam pelo mundo medieval.

E mesmo no dia a dia, muito se condiciona a ela, na famosa frase “foi uma falha de comunicação”. Nas discussão de relacionamento, nas conversas de família, reuniões de trabalho, a desculpa sempre aparece e passa a ser justificativa para erros e mais erros. E então eu me pergunto: a falha está mesmo na própria comunicação ou se em quem a pratica?

Você saberia responder?

** Publicado em 14/12/13 originalmente em Vida a sete Chaves. Acesse outros posts clicando aqui **

Anúncios