Crônica “E que comecem as apostas!”, em Vida a Sete Chaves

Coitado de 2014…

Mal nasceu e está com tanta responsabilidade nas costas. É regime, emprego novo, casa nova, casamento, divórcio, filhos, academias, viagens, até copa do mundo estão prometendo por ele. Desejar que ele tenha paz ninguém deseja, né? Que seja politicamente revolucionário ninguém quer, né? Desejar que seja um ano de atitudes, de coragem, de fazer-e-acontecer, ninguém vai desejar, porque, como sempre, só se quer o bônus!

Tomara que ele não dê nada a ninguém, que seja um ano de muito suor escorrendo pelas testas, de muita compreensão. Que seja um ano de meio: para que todo mundo entenda que é preciso ter um começo e um meio antes de se chegar a um fim.

Boa sorte pra você, 2014.

** Publicado em 28/12/13 originalmente em Vida a Sete Chaves. Acesse outros posts clicando aqui **

Anúncios