Crônica “Morramos na ignorância”, em Vida a Sete Chaves

Já dizia a piada: a vida é uma caixinha de surpresas, e nós somos meras marionetes do que ela decide por fazer.

E o pior: não conseguimos ter sequer uma ideia do que está por vir para, quem sabe, conseguir nos preparar. Não, se fosse assim não teria graça, seria fácil prever as dificuldades e nos blindar, seria possível antever os problemas e já providenciar a solução. Vida tranquila seria essa, você deve estar pensando. Mas não.

Imagine, então, que seja possível você saber que terá uma doença no ano que vem, inevitável, que não há procedimento de prevenção que o livre dela e que seu destino é sofrer as consequências que ainda virão. Como reagiria? Entraria em total desespero ou apenas esperaria acontecer?

Acha mesmo que Michael Schumacher ficaria tranquilo em saber que teria um acidente como esse que sofre? Ou mesmo os Mamonas Assassinas, ou Amy Winehouse? Pense em algo de ruim que já te aconteceu, ou a algum familiar, e pense em qual seria sua reação. Provavelmente, nem um pouco tranquila…

O destino, esse danado, deve saber o que faz. Lá na frente, com tudo já acontecido, resolvido e continuado, a gente vai descobrir os porquês. Enquanto isso, melhor mesmo ficar na ignorância e viver cada dia de uma vez.

** Publicado em 04/01/14 originalmente em Vida a Sete Chaves. Acesse outros posts clicando aqui **

Anúncios